27 julho, 2011

A Graça Encontrou um Caminho

   "As leis levíticas advertiam contra contágios: contatos com doentes, gentios, cadáveres, certos tipos de animais ou até mesmo mofo e bolor podiam contaminar uma pessoa. Jesus inverteu o processo: em vez de ficar contaminado, tornou a outra pessoa sadia. O louco nu não o contaminou; foi curado. A pobre mulher com o fluxo de sangue não o envergonhou nem o tornou impuro; ela saiu dali sã. A menina morta de 12 anos de idade não o contaminou; foi ressuscitada.
  
   Vejo no método de Jesus um cumprimento, e não uma abolição das leis do Antigo Testamento. Deus tinha "santificado" a criação separando o sagrado do profano, o puro do impuro. Jesus não anulou o princípio santificador de Deus, pois ele habita em nós. No meio de um mundo impuro podemos passear, como Jesus, buscando meio sde sermos uma fonte de santidade. Para nós, os doentes e os aleijados não são áreas de perigo de contaminação, mas receptores em potencial da misericórdia divina. Somos chamados para estender essa misericórdia, para ser os anunciadores da graça, e não para evitar o contágio. Assim como Jesus, podemos ajudar o "impuro" a se purificar.

   Levou algum tempo para a igreja ajustar-se a essa mudança dramática; Pedro precisou ter a visão no terraço. Semelhantemente, a igreja precisou de um incentivo sobrenatural para levar o evangelho aos gentios. O Espírito Santo ficou feliz em agir, enviando Filipe primeiro a Samaria e depois levando-o para a estrada no deserto na qual encontrou um estrangeiro, um homem negro, alguém considerado impuro segundo as regras do Antigo Testamento (por ser eunuco, ele era castrado). Pouco tempo depois Filipe batizou o primeiro missionário para a África.

   O apóstolo paulo - inicialmente uma das criaturas mais resistentes à mudança, um "fariseu dos fariseus" que diariamente agradecia a Deus por não ser gentio, escravo ou mulher - acabou escrevendo as seguintes palavras revolucionárias: "Não há judeu nem grego, escravo nem livre, homem nem mulher; pois todos são um em Cristo Jesus". A morte de Jesus, ele disse, derrubou as barreiras do templo, desmantelou os muros delimitadores da hostilidade, que haviam separado as pessoas por categorias. 
  
   A graça encontrou um caminho."


Extraído do Livro: Maravilhosa Graça - Philip Yancey, p.146. Vida

23 julho, 2011

A vida - Por: Alison dos Santos

  Duvidas, questões mal resolvidas...
  Amor será?
  Problemas. Por quê? 
 
  Já reparou que todos nós temos quase os mesmos problemas?

  Duvidas.
  O porque de estar acontecendo desse jeito? O que estou fazendo de errado?
  Nós seres humanos nos taxamos por motivos banais por causa de dúvidas que enfrentamos e acabamos achando-nos incapazes de resolver, nos tornando vulneráveis aos problemas da vida que acaba nos desanimando de muitas coisas e muitas vezes acabam desanimando com o dom mais precioso que Deus nos deu... o Amor. Por causa desse desanimo vem a questão: “Por que eu não consigo sentir o amor?” sentimento esse que muitos dizem ser perfeito, o qual a gente tanto deseja. Mas devemos lembrar que estamos rodeados de um imenso amor, o amor de Deus. Que por causa dos problemas da vida, dos problemas no trabalho, do trajeto até em casa e das discussões em família, acabamos não percebendo o Amor de Deus, aquEle que nos proporciona o ar que respiramos, que cuida dos nossos filhos, da família, aquEle que deu o sopro de vida a nós seres humanos.
 
  Problemas. Por que isso deu errado?
  Já reparou que na maioria das vezes somos os somente nós os culpados dos nossos próprios erros? Sim, nós mesmos. Por quê? Simplesmente porque somos nós, eu, você mesmo tomamos decisões não pensando na futura consequencia daquilo que agimos por impulso, agindo com raiva, com pressa, sem pensar. Como num velho ditado: “Toda ação gera uma reação”. Não nos preocupamos com o futuro... Então o que devemos fazer para resolver essas questões e problemas?

  Temos aqui quatro simples soluções que se tornam a essencia para a cura da alma, para a cura da vida:

- Paciencia. Sem ela não somos capazes de parar e pensar uma, duas, ou quantas vezes forem necessárias.
- Sabedoria. Não adianta entender o que é certo ou errado, se na hora de em que precisar usá-la, não ser sábio.
  - Paz. Sem ela é impossível entrar em comunhão com o próximo, evitando brigas e discussões.

  - Deus. É ele que nos dá a paciência, a sabedoria, a paz e tudo o que for necessário para nos fazer feliz.



Alison dos Santos.
Camboriú, 06 de Julho de 2011.

05 julho, 2011

O Segredo

2º Livro de Samuel 22:4 - "O SENHOR, digno de louvor, invoquei e de meus inimigos fiquei livre."

   Ao ler tal versículo na Palavra de Deus, logo lembrei das canções que nos rodeiam que falam sobre vitória, inimigo, pódio e tudo o mais, cujos cantores (ou compositores, também) se sentem no direito de desabafar seus sentimentos de vingança em forma de música, em forma de poesia e depois querem jogar em nossos ouvidos tudo isso!
    Davi, quando louva a Deus citando a frase que se encontra no início deste post, registrada em 2 Sm 22:4, revela o segredo para ficarmos livres dos que querem nos impedir de fazer a Obra de Deus, de servir ao Senhor. Tal segredo, agora revelado, é invocar unicamente o Nome do SENHOR, pedindo seu auxílio e sua ajuda. Como certamente diria o querido Pastor Ciro Zibordi, devemos pedir Ajuda do Alto, clamar ao Senhor Jesus Cristo, pois só Ele tem a solução para os nossos problemas.
   Nossa total confiança e dependência devem estar no Todo-Poderoso, porque se não for assim, e quisermos fazer justiça com as próprias mãos, estaremos dizendo a Ele: não necessito de tua ajuda pois não preciso de Ti. Lembremos-nos sempre de não nos apartar impiamente do nosso Deus (2 Sm 22:22)

Que Deus te abençoe.

Com carinho, Francielly Vianna.