12 fevereiro, 2010

Dilma não é Silva

 Começo dizendo que não tem como fugir da tarefa de mostrar ao brasileiro que a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, definitivamente não é a imagem e a semelhança de Lula. Ela pode ser a "herdeira política" mas não pode se lhe pode dar qualidades incontestáveis do líder político que é Lula, nem tão-pouco tolerar nela os despauterios verbais que consagram o presidente[lol].

 Se o presidente se orgulha de ser o primeiro brasileiro sem curso superior a governar o País e ser o menino pobre da Caatinga que venceu na vida, Dilma faz parte do estamento dos letrados. De Lula pouco importa saber se concluiu o primeiro grau ou tem diploma do Senai. Já no caso de Dilma é fundamental comprovar se é mestre, doutora ou não passou do bacharelado. Lula pode tropeçar na língua portuguesa tanto para falar com os seus iguais no sertão do Seridó, quanto para discursar nos foros internacionais, onde os tropeços são intraduzíveis para o francês ou inglês.Já Dilma não possui tais escusas escapatórias, aliás, de Dilma se espera a fluência em pelo menos uma língua estrangeira e um português apurado.

Lula fez história como líder operário e chegou ao poder com tal legitimação que a sua fonte de autoridade é originária na própria imagem, não depende sequer do seu partido.

Já Dilma é derivada do sucesso do presidente. Para a oposição, quanto mais Dilma tentar reproduzir o padrão político e pessoal do seu mentor e protetor, mais fácil será convencer o brasileiro de que “o Lula foi muito bom para o País”, obrigado, mas positivamente o Brasil merece alguma coisa melhor do que uma presidente cujo grande mérito é ser um produto político pirateado.